domingo, 26 de fevereiro de 2017

Fatos da vida

Homem bonito, homem feio, magro, gordo, marombado, fraco, novo, velho, homem de pegada ou o travado, tem o tímido e aquele esculachado.
Homem de voz suave e o da voz forte, também tem o da voz feia (esse ninguém merece! rss).
Me perguntaram, certa vez, o que eu esperava de um homem, já não lembro quem me fez a pergunta mas não a esqueço e ainda me pego pensando no assunto.
Eu queria mesmo era o Reynaldo Gianecchini.
Puxa! Como eu queria! rss
Mas brincadeiras à parte, o que as pessoas procuram umas nas outras?
Caraca! Minhas observações sobre o assunto são de decepcionar.
O que uma mulher, tipo mulherzinha mesmo, aquela que nem foi criada à moda antiga mas veio em sua essência a moda antiga, o que ela espera de um homem?
Ora, um homem!
Um homem que tenha atitudes de homem, postura, iniciativa, que seja seu protetor e não opressor, companheiro e não dono.
Porém o que se vê é uma geração de homens carentes que esperam o mesmo que a mulherzinha espera, homens que foram estragados por mães e jogados no colo de outras mulheres que precisam agir como homens pra cuidar destes.
Homens preguiçosos, chupins e que ainda se acham no direito de escolher suas "vítimas" pela aparência.
Um bando de covardes que quando a mulher adoece a troca por outra muitos anos mais nova, ops, foi mal.
E as pessoas ainda ousam me perguntar porque não tenho ninguém.
Poupem me de responder a isso, por favor.
Mas voltando ao assunto, o que me faz escrever é a simples reflexão de:
_Por que queremos alguém ao nosso lado?
_Por que essa necessidade de companhia?
_O que cada um espera de uma pessoa?
_Por que esperamos o melhor sem oferecer o melhor de nós?
Eu não fui uma esposa perfeita, tenho consciência disso a cada dia que passa.
Era só uma boa dona de casa.
Mas um marido não precisa só de uma dona de casa, preferencialmente ele precisa de uma ajudadora, sobretudo hoje em dia que tudo é tão difícil.
Quando meu casamento acabou foi bem mais fácil eu deixar que somente ele fosse responsabilizado já que somente ele traiu mas nenhum casamento acaba por conta de um fato isolado.
Tá, o safado (desculpa aí, Idi!) me traiu inúmeras vezes e não foram aventuras; mas o que o levou a fazer isso?
De repente você se casa e a pessoa que deveria ser a mãe dos seus filhos adoece, fora todos os problemas de relacionamento que já vinham completando o saco de sal (como diz o ditado popular:só se conhece alguém depois de comer um saco de sal juntos).
Talvez a culpa não seja 50% pra cada um, talvez eu tenha até muito mais participação no fracasso do nosso casamento do que ele.
É difícil pra mim assumir que fracassei, minha visão de esposa fora um tanto ou talvez totalmente equivocada. Pode ser que em outra geração ou com outra pessoa desse certo mas não nessa geração e muito menos com ele.
Eu realmente precisava ter amadurecido mais antes de me casar.
Deveria ter feito mais por minha própria vida do que limpar casa.
Estes são os fatos da vida, pelo menos da minha.
Hoje estudando novamente eu busco me conhecer como pessoa, busco meu lugar ao sol, luto pra não sucumbir à minha preguiça, ao desanimo e, talvez, à minha natureza.
E só hoje eu estou realmente aberta ao amor, só hoje sei exatamente o que quero e o que não quero.
Mas a pergunta já não é o que espero de alguém mas, sim, o que espero de mim.
Pela primeira vez eu realmente estou preparada pra amar e deixar tudo pra trás e meu único medo é o de estragar tudo.
Eu preciso não esperar tanto das pessoas, mas espero de mim uma vida mais leve, sem cobranças desnecessárias, que eu seja uma boa companheira, que seja agradável e justa.
A vida é tão pequena e já está mais do que na hora de eu fazer melhor por mim e por quem eu amo.
Hoje eu entendo melhor sobre quem eu fui, quem sou e quem quero chegar a ser.
Lamento muito ter sido tão imatura, lamento não ter somado, lamento ter sido egoísta, injusta e ter parado no tempo.
Lamento por mim mesma porque no fim, eu sou a única que colho daquilo que plantei.
Ao meu leitor amado te aconselho a se fazer a única pergunta antes de se envolver seriamente com alguém: _O que posso oferecer nesse momento como companheiro?
Eu não sei se estou apaixonada (eu acho que sim!) e amando sei que não pois é cedo mas estou me abrindo pro amor depois de tantos anos e só o que me mete medo é meu preparo ou a falta dele pra envolver alguém em minha vida.
Como o próprio disse, quem tem medo não sai de casa, porém meu medo não é da chuva cair e estragar meu penteado mas é de partir um coração inocente tendo, talvez, que saltar da vida antes de chegarmos onde queremos chegar juntos.
Eu nunca sonhei em envelhecer com alguém senão com meu primeiro marido e ontem, quando essa pessoa me enviou a foto de seu pai já idoso dizendo que ele seria daquele jeito futuramente, eu senti tanta vontade de chegar com ele até esse momento.
Já me senti tão injustiçada pela vida mas conhecer essa pessoa me fez ver que não houve injustiça alguma, são apenas os fatos da vida que deveriam acrescentar sabedoria e alguns desses fatos foram buscados por minhas escolhas, minhas omissões e tantos erros.
Não sei o que irá acontecer, se o amor está mesmo batendo à porta do meu coração... só o que sei é que me sinto pronta, leve e seja com quem for, meu coração já está desocupado e preparado com nova "mobília".
Isso tudo é fruto de uma nova busca, a busca de quem quero ser.

Dag Veloso


Nenhum comentário:

Postar um comentário