sexta-feira, 3 de junho de 2016

Amor, amor e amor...

O amor não tem preço.
Olha, eu não me considero do tipo romântica mas nem preciso ser pra saber que amor não se compra.
O que se passa na cabeça de um ser que usa sua situação financeira pra tentar conquistar alguém?
Será inocência ou burrice no duro?
Desculpa mas romantismo não é abrir a porta do carro pra mulher entrar e sair dele e nem pagar a conta do jantar ou comprar muitos presentes, romantismo é sentimento livre de qualquer razão.
É, simplesmente, agir por conta desse sentimento.
Acho tudo tão ridículo quando se trata de "amor" eros, que biblicamente entendo ser o amor de homem e mulher com sentimento e desejos mútuos.
E é ridículo porque o amor não acaba, é impossível acabar então partindo desse princípio como é que hoje você ama e morre por alguém e amanhã já está de "amores" com outra pessoa e até em formar família com o marido alheio consegue sonhar?
Ou é você a mulher que ama de tal forma o cônjuge que nada e nem ninguém te separa dele a não ser no dia em que perceber um olhar de cobiça por cima do muro?
O que aconteceu com as juras de amor? O que aconteceu com as juras de amor CUMPRIDAS?
Bom, as cumpridas morreram de mãos dadas.
Não me convence promessas de amor eterno, de felicidade e blá blá blá pois já cri nisso e sem elas fiquei e olhando ao redor quase não vejo pessoas cumprindo ou caminhando em direção ao cumprimento de tais promessas.
Quando o egocentrismo impera não existe amor verdadeiro pois aquele que busca somente para si nunca estará satisfeito com ninguém.

Dag Veloso


Nenhum comentário:

Postar um comentário