domingo, 30 de outubro de 2016

Boneca de sonhos

Boneca de sonhos, caixinha de surpresa, intensa, insana, descontrolada, feliz...
Foi a vida quem lhe conduzira por caminhos inimagináveis,
Dançando com a vida, entre encontros adiados e desencontros acertados.
A vida determinou o que ela pensava dominar.
E a vida passou, o tempo se esgotou, o viço a deixou mas o sonho não se findou.
Boneca de sonhos, alma de menina, esperança infinita, ilusão desiludida.
Foi sim, a própria vida que a transformou.
Coração magoado, rasgado, dilacerado, dolorido porém cheia de sonhos.
E com olhos brilhantes e vivos, eis então a boneca de sonhos.

Dag Veloso






domingo, 4 de setembro de 2016

Enfim mãe

Inúmeras vezes me peguei questionando o motivo pelo qual nunca tive filhos. E apesar de já não questionar, ainda dói no fundo do meu coração a falta de olhar um ser dependente, que me seria emprestado pelo Pai Celeste e que, sem modéstia alguma, creio que teria competência devido toda maternidade que existe em mim. Maternidade esta que exala em meu corpo, clama, implora por esse amor perfeito.
Porém durante os últimos anos e a cada dia mais eu me vejo mãe mas só hoje me assumi como tal.
Me dei conta dessa maternidade e do esplendor das decisões divinas sobre minha vida. E hoje posso dizer, seguramente, que sou mãe.
Foi há pouco em uma conversa com alguém que amo muito, que tenho por filho, que entendi tudo isso.
Enquanto dorme a mãe natural eu estou intercedendo, orando, aconselhando, fazendo o papel que deveria ser dela.
Mas muito do que eu disse à ele me surpreendeu, não cabia em minha simples existência, foi totalmente sobrenatural, um momento em que Deus usou-me pra fortalecer um filho.
Me tornei mãe espiritual de tantas pessoas e creio que se eu tivesse concebido filhos naturais eu não seria usada tal qual tenho sido.
E louvado seja Deus por isso.
Deus é perfeito em suas decisões.
Ele, somente Ele sabe o porquê de todas as coisas e à nós nos é dado o único "trabalho" de adorá-Lo independente das nossas circunstâncias.
Deus é bom.
Mas agora peço-te permissão pra uma pergunta:
_Por que você quis ser mãe?
_Por que você quis ser pai?
Eu tenho ouvido de seus filhos as dores emocionais, espirituais, suas frustrações e medos enquanto você dorme em folga.
E quando eles mais precisam, você se volta contra eles com seus melindres (até explicáveis porém jamais justificáveis) em vez de pegar nas mãos deles (sejam elas pequenas de uma criança ou calejadas de toda uma vida de luta) pra orarem juntos.
Eu juro que não entendo isso aí.
Filhos são responsabilidade dos pais até o fim da vida e não estou dizendo que você deve sustentá-los ou levá-los no colo pra sempre mas espiritual e emocionalmente eles são responsabilidade suas.
Posso não ser mãe biológica mas Deus tem posto em minha vida filhos espirituais, de várias idades, inclusive mais velhos que eu pra que eu interceda, os repreenda, ore com eles, fale do amor de Deus, clame com a autoridade que Deus nos dá pelo sangue do Filho, Jesus Cristo nosso Senhor.
Ainda não entendo como vocês fazem filhos e conseguem se tornar "inimigos" deles ao desprezarem suas dores quando eles mais precisam de vocês.
Já presenciei mãe praguejando filho só por não fazer o que ela queria, já ouvi (infelizmente ouvi e não foi apenas uma vez) pai amaldiçoar filho por bobagem. 
Me responda que tipo de mãe e pai é você que acha que sofrimento faz parte da vida, de tal forma, que porque você sofreu coisas piores (isso ao seu ver) ele também deve sofrer? E pior; você ainda consegue achar pouco perto do que você supostamente sofreu.
Ter filho é uma vingança pessoal, por acaso?
Loucos.
Vocês são loucos.
Não sabem que filhos são emprestados à vocês pelo próprio Deus e pra Ele terá de prestar contas do que com eles fizer?
Pois eu digo; loucos é o que são.
O mundo padece a dor da ausência de pais controlados, equilibrados, sãos, lúcidos e justos.
Toma a mão do teu filho o quanto antes e ora por ele, ora com ele, repreende todo mal em nome de Jesus antes que seja tarde. 
E tenha uma certeza apenas, sua vida nunca estará em paz, nunca será vitoriosa se antes não fizer pelos seus o que deve fazer.
Faça.
Ore agora.
Ame seu filho agora.
Amanhã pode ser tarde e Deus cobrará de você o que não fez por ele hoje.

Dag Veloso
orgulhosamente mãe, abençoada e escolhida por Deus.

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Valorize-se

Li esse texto há alguns dias e o salvei pois achei perfeito.

"Quem quer, arruma jeito. Quem quer é capaz de viajar 100 quilômetros só pra te ver, e não interessa se o tempo fechou tão rápido, quem quer não vai pensar duas vezes em te ver hoje ou deixar pra próxima semana. Quem quer, não vive de conversas, não perde tempo, não arruma mil e uma desculpas pra justificar que não vai dar pra te ver hoje porque o dia foi cansativo demais.
Quem quer, não se contenta só em ouvir a tua voz pelo celular, quem quer estar com você sentirá necessidade de te ver pra conversar como foi o seu dia, sobre todas as coisas que te fez perder a cabeça e vai entender que é melhor te abraçar nos momentos mais difíceis do que te mandar um "fica bem" por mensagem. Que quer te fazer bem, vai bater na tua porta com chocolates que comprou no meio do caminho pra tua casa e cervejas - é que o dinheiro era pouco e o vinho era caro.
Quem quer realmente te ver, não esperará por um feriado ou por dias melhores que não tenham provas, nem muito trabalho pra fazer.
Quem quer te ver, não vai se lamentar, vai vestir a roupa mais próxima e sair com sorriso mais sincero ao teu encontro. Quem quer, não vai reservar um tempinho pra você ou um horário fixo pra te ver, vai te reservar a vida e vai te ensinar que quando a gente ama, a gente não mede esforços, a gente não quer o outro pra preencher aquele espaço que sobra na cama ou aquele tempo vago nos finais de semana. Quando a gente quer, a gente aceita o outro pra somar na vida, pra abrigar e tornar-se abrigo, pra unir dois mundos.
Quem quer ficar, vai encostar a cabeça em teu ombro e vai te deixar descobrir todos os medos e segredos, erros e defeitos, vai apertar a tua mão pra tentar te dizer algo em silêncio, e vai se despedir de você sem te tirar nada, te permitindo a liberdade de querer viver tudo e mais um pouco ao lado dela. Quem quer você, tem vontade de repetir, de tomar todos os gostos com teu sabor, de provar todas as aventuras com você sem te dizer que precisa pensar, sem te dizer: "hoje não dá", "deixa pra amanhã", "não tô a fim". Porque quem quer, arruma um jeito. Quem não quer, arruma uma desculpa.
Quem quer não adia, aparece. Quem quer te ver agora, não vai deixar pra amanhã, mesmo que a distância seja incalculável ou já seja tarde pra isso. Quem quer, não deixa pra depois o que pode ser feito agora. Quem quer ficar, fica sem que a gente precise implorar. Quem quer cuidar, simplesmente cuida. Quem quer, provavelmente não vai suportar a saudade, não vai poupar sentimento e entrega pra te ver."



Muitas vezes a carência bate... Siiiimmm, também tenho isso, não sou de ferro e apesar de sempre brincar dizendo que meu coração é blindado, infelizmente ele não é.
Porém quando a carência bate eu não me contento em sair com um aqui e outro ali, na minha concepção é errado agir assim e também aprendi a me valorizar a ponto de querer o máximo, ser A prioridade, ser o centro da vida de alguém.
Aí você diz: "_É por isso que você está solteira."
E eu respondo:
_Prefiro ser solteira a viver à margem da vida de alguém novamente.
Tenho amigas que me dizem isso mas não ligo pro que pensam porque a vida que estas levam não me atrai nem um pouco.
O que eu sei é que pra estar em segundo plano eu fico só e me faço prioridade.
E escrevo isso pra dizer: dêem-se valor porque se não houver quem te valorize pelo menos não passou sua vida comendo das migalhas que te oferecem, ou pior, deixar cair.
Te garanto que não foi pra resto que Deus te criou.
Bjs amigas.


Dag Veloso



sábado, 6 de agosto de 2016

Aparências


A mãe e o celular

A mãe e o celular.
Enquanto espero a van notei uma menina segurando o braço da mãe e apertando suas partes íntimas com a outra mão. Conforme se aproximaram a ouvi dizer que queria fazer xixi... Falou uma, duas, três vezes e a mãe entretida no celular... De repente a mãe despertou pra vida, parou, olhou pra criança e disse: _Por que você não falou antes???
kkkkkkkkkk cômico!
Não entendi o que a menina disse mas imaginei ela respondendo que falou antes, durante e depois da mãe ouvir...rss
Cada coisa que observo!!!!!

Dag Veloso

Um cantinho no mundo

Cada pessoa tem seu lugar no mundo.
Ainda não descobri o meu.
No momento fico feliz em ver as pessoas felizes, se posso ajudar me sinto cumprindo uma missão.
Passei a vida buscando me encaixar em grupos ou família, no fim mesmo acompanhada eu me sinto sozinha.
Mas não acho que seja ruim.
Bom, antes eu pensava ser isso algum tipo de maldição (rss), hoje percebo que preciso buscar mais de Deus pra que onde eu passar deixe uma benção.
Relutei muito pra não ficar sozinha mas eu nasci pra uma missão que me faltava apenas aceitar pra ficar em paz.
Por anos coloquei a culpa no mieloma e não que eu não tenha perdido pessoas e coisas por causa dele mas hoje entendo que tudo o que perdi não era meu e que a doença foi apenas uma prova de fogo onde permaneceriam somente os que realmente deveriam estar comigo.
Não sei até quando viverei mas sei que o que eu puder fazer pra realizar a felicidade alheia, eu farei. Sendo a felicidade das pessoas que cruzam meu caminho também a minha, com certeza.
Mas se for possível um pedido; poderia cessar as dores, por favor?!


Dag Veloso

Banalizando o amor


Certa vez me disse alguém que eu banalizava o amor por me declarar às pessoas com tanta facilidade.
Bom, se sou responsável por isso então palmas pra mim... Êêêêêêêêêêêê uhuuuul... 😁
Num mundo onde palavras e sentimentos de ódio e rancor, palavrões e tanto negativismo às vezes até sem razão de ser, impera pelo simples fato de ser banal eu prefiro declarar meu amor e carinho.
Meus amigos mais próximos sempre se despedem de mim dizendo o quanto me amam e também percebo essa troca de amor e carinho com pessoas que só conheço pela internet.
Eu acho lindo.
Mas se você acha tolo o problema não é meu, ou seja, não tô nem aí...😂
Amo vocês, meus amigos.


Dag Veloso



Consolo sem preconceito

Outro dia li uma postagem do Amauri Feliciano contando sobre alguém que o adicionou só pra dizer que ia bloqueá-lo por ser espírita ou macumbeiro, não lembro bem qual termo usou.
Bom, esse homem, o Amauri, vítima de preconceito nunca desfez de mim por eu ser evangélica, aliás nem perguntou nada sobre minha religião pra me consolar no pré transplante, só me abraçou e me deu força.
E me desculpem os preconceituosos mas essa é uma pessoa que amarei pra sempre independente de crença ou qualquer outra coisa.
Mas um conselho dou: antes de se afastar das pessoas por causa de religião ou cor aprenda a dar seu ombro a quem precisa pois somos todos criaturas de Deus e temos as mesmas dores e necessidades.
Pra agradar à Deus você tem que transmitir esse amor à todos e não aos que escolhe.

 Dag Veloso


Passando pela vida

Me arrumando pra sair, fiquei pensando em como envelheci nos últimos 3 anos.
Nas fotos já aparecem alguns sinais que antes não via.
Pensei no quão chato é envelhecer e ver a cada dia o viço da juventude se acabar.
Mas do que posso reclamar?
Sinal este de que estou viva, que minhas lutas com quimioterapias, radioterapias e transplantes não foram em vão.
Foi o que pedi e isto tenho recebido.
Onze anos se passaram e cá estou tirando selfies...
Obrigada Senhor. 


Dag Veloso


Seguindo solitária


"A Arca de Noé então é um absurdo sem fim..."
As pessoas desfazem do que a gente crê porque confiam em filósofos que daqui mil anos terão seus livros questionados por sua veracidade, desconfiando de sua edição, reedição etc.
Assim também desconfiam e zombam daqueles que acreditam na Bíblia.
Eu tô tão cansada disso tudo.
Fico perguntando pra Deus se não tem jeito de chamar minha "senha" logo pra eu subir, porque as pessoas sempre se ofendem com nossas opiniões mas não percebem o quanto ofendem com as delas.
"Eu fui injustiçado"
Ui.
Às vezes é melhor dar razão pro outro do que discutir pra eleger nossa própria razão porque no fim ninguém a tem.
Só sei que assim como com todo ser humano dói que desfaçam daquilo que amam e crêem também em mim sangra o coração.
E eu sigo minha vida, ainda sem quem creia como eu, ou seja, sem quem partilhe das minhas crenças, neuras e até das bobagens porque minhas experiências me levaram a crer que ninguém é o centro da vida de ninguém apesar de eu já ter feito de quem não valia um tostão ser o centro de mim mesma.
Hoje entendo que realmente um casal tem que se tornar um ou nunca será um casal, sendo assim, devem chegar à conclusões indiscutíveis, sederem até tornarem suas ideias e mentes únicas ou passarão suas vidas disputando razões sem razão alguma.
Eu já me irritei, já falei, já se irritaram comigo e também me falaram o que pensavam e hoje me vejo só.
Onde foi que errei?
Pois é, concluí que ao ser "maleável" (não tanto como me digo ser) eu me misturei com todo tipo de ser humano e convivo com tantas pessoas diferentes de mim mas não me atinei de que enquanto todos partilham com seus grupos as suas ideias sincronizadas eu me afastei do meu e me vi ridicularizada e meio que rejeitada pelo meu modo de pensar.
Eu não pretendo deixar de conviver com as pessoas que amo, mesmo os que pensam diferente de mim, mas tá na minha hora de voltar pro meu grupo.
A cada pedrada me sinto mais firme de que Deus precisa de uma posição da minha parte e enquanto eu não me decidir por Ele, independente de eu gritar ao mundo que sou dEle jamais serei digna do amor dEle.
E se eu não acreditar que Jesus nasceu em Belém assim como foi dito pelo profeta, eu realmente não tenho motivo algum pra continuar vivendo.
Eu peço apenas que não tentem me mudar, se não gostam do que sou, do que creio, mesmo os meus amados, vou entender e preferir que se afastem.
E de coração partido eu desejo uma boa noite à todos.
Dag Veloso

terça-feira, 28 de junho de 2016

Eu sou mais eu

Eu poderia ter o homem que eu quisesse e sabe porque não tenho?
Porque não quero.
Me descobri um espírito livre, cheia de alegria e muito bem acompanhada por minha pessoa.
Eu não preciso de homem pra ser feliz, nem de companhia pra não me sentir solitária.
O tempo mostrou que a solidão acompanhada é pior que viver conversando com o espelho e pra ser sincera sou amante da minha própria alegria, dos meus pensamentos e me basto.
Eis o motivo pelo qual não quero você.

Dag Veloso

Meu circo

Perdi o sono pensando no meu circo, ops, minha vida...kkk
Eu às vezes meio que assisto minhas memórias e caio na risada.
Hoje, por exemplo, minha ex sogra, a Tereza, mãe do Fred, veio buscar a Lisa pra dormir com eles. Uma amiga do Fred estava junto e perguntou: "Mas de quem é a cachorra?". Tereza e eu rimos e então explicamos que Lisa está sob guarda compartilhada...kkkkk
Estava lembrando a expressão da moça e ri sozinha.
Na verdade é tudo muito louco na minha vida. O Fred já está namorando sério com outra pessoa e depois de dois anos e meio que nos separamos agora entendem ou aceitam que nos separamos de verdade e que ele se tornou um dos meus melhores amigos e "pai" da minha "filha"..rss
Mas pensa numa família que você gostaria de fazer parte.
Pensou?
Agora multiplica por 7 e você vai entender o que sinto pela família do Fred.
Não são perfeitos mas são os melhores, principalmente a Tereza, minha amiga e "irmãe", a melhor sogra e agora ex sogra do mundo, justa, inteligente, sábia, honesta e de uma beleza reluzente, uma alma bondosa e grandiosa.
E também tem meu amor de ex sogro, o Chico, uma figurinha, um tesouro, um amigo, foi amor à primeira vista, o cara complicado que não entendo porém preenche minha vida de alegria com suas brincadeiras nada convencionais...rsss
E nem falei do tiozinho Zé e faltou o Ricardo e a Erika, meus irmãozinhos amados.
A minha vida é um circo porque coleciono situações em que seres humanos comuns nem sonham viver.
Isso tudo faz da minha vida totalmente especial e não a trocaria pela vida de ninguém, por melhor que fosse.
Muitas pessoas passaram por minha vida, algumas já estavam lá quando nasci, várias se foram, de outras me retirei e não é que deixaram de estar em minhas recordações mas apenas não fazem parte do momento.
Mas admito que minha vida mudou muito nos últimos anos, não sei dizer com precisão pra quanto de melhor ou pior mas cada um que entrou ou passou por minha vida me deixou mais rica.
É uma palhaçada como vivo mas é a minha maneira de ser feliz e está dando certo.
Que venham muitas novas pessoas do bem, usadas por Deus ou que contem comigo como uma serva de Deus pra lhes ajudar.
Sejam benvindos...

Dag Veloso

terça-feira, 14 de junho de 2016

A lista

Eu não me lembro quando andei de bicicleta pela última vez, não lembro a última vez que tomei um banho de chuva, nem quando brinquei com crianças de igual pra igual mesmo sendo já adulta.
A gente nunca nota cada coisa e dá a devida importância à elas.
Talvez num momento qualquer vc perceba que não queria nada pela última vez e que absolutamente tudo tem alguma importância e muitas vezes o simples é mais valioso do que o rebuscado.
Foi numa conversa até boba que percebi as tantas coisas simples que nunca fiz, que nem sequer teve uma última vez.
O milho cozido na fogueira, risadas espontâneas, crianças com marshmallow derretendo no calor do fogo, o chocolate quente sob as estrelas...
Engraçado que de repente me deu mais vontade de realizar pequenas coisas que não conheço do que repetir aquelas que nem me recordo quando fiz pela última vez.
Fazendo lista em 3, 2, 1...
Fui!
Dag Veloso


sexta-feira, 3 de junho de 2016

Amor, amor e amor...

O amor não tem preço.
Olha, eu não me considero do tipo romântica mas nem preciso ser pra saber que amor não se compra.
O que se passa na cabeça de um ser que usa sua situação financeira pra tentar conquistar alguém?
Será inocência ou burrice no duro?
Desculpa mas romantismo não é abrir a porta do carro pra mulher entrar e sair dele e nem pagar a conta do jantar ou comprar muitos presentes, romantismo é sentimento livre de qualquer razão.
É, simplesmente, agir por conta desse sentimento.
Acho tudo tão ridículo quando se trata de "amor" eros, que biblicamente entendo ser o amor de homem e mulher com sentimento e desejos mútuos.
E é ridículo porque o amor não acaba, é impossível acabar então partindo desse princípio como é que hoje você ama e morre por alguém e amanhã já está de "amores" com outra pessoa e até em formar família com o marido alheio consegue sonhar?
Ou é você a mulher que ama de tal forma o cônjuge que nada e nem ninguém te separa dele a não ser no dia em que perceber um olhar de cobiça por cima do muro?
O que aconteceu com as juras de amor? O que aconteceu com as juras de amor CUMPRIDAS?
Bom, as cumpridas morreram de mãos dadas.
Não me convence promessas de amor eterno, de felicidade e blá blá blá pois já cri nisso e sem elas fiquei e olhando ao redor quase não vejo pessoas cumprindo ou caminhando em direção ao cumprimento de tais promessas.
Quando o egocentrismo impera não existe amor verdadeiro pois aquele que busca somente para si nunca estará satisfeito com ninguém.

Dag Veloso


sábado, 28 de maio de 2016

Encontro acidental

Foi um encontro totalmente "acidental".
Um email bonito e um momento em que precisava daquelas belas e certeiras palavras.
Destinos que se cruzaram "sem querer", um encontro que mudou nossas vidas.
Se tornou uma linda e perigosa amizade onde tivemos que nos afastar pra não ferir a santidade de Deus.
Mas sinto sua falta.
Como sinto!!!!
Sua inteligência, calma e tranquilidade, nossas longas conversas, assuntos tão diversos, risadas naturais e espontâneas.
Sinto falta da sua presença protetora, segurança que me passava só de estar presente.
Eu sinto muito ter estragado tudo quando senti mais do que amizade e os anos passaram mas o sentimento ainda me confunde..
Hoje a saudade está imensa.
Fico pensando onde você está nesse momento, se está bem, seguro e feliz.
Ah meu anjo, homem com olhar de menino pidão, que Deus te cuide.
Amo você.

Dag Veloso

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Foram os atalhos

Tantas pessoas me dirigem lindas palavras pra expressar a grande admiração por eu ser isso e aquilo mas poucas sabem como realmente me sinto.
Sozinha, despreparada pra vida, indefesa, tentando lutar pra sobreviver no meio da humanidade desumana que existe até mesmo em ambiente familiar.
É tão simples acharem que sou corajosa só porque me interno sozinha em outra cidade, que mesmo tomando quimioterapia consiga viver só, que eu me cuide mesmo tendo dores e sorria mesmo diagnosticada com MM.... Mas depois que me elogiam cada um pega sua família e volta pra casa, mesmo tendo seus problemas conseguem repousar na segurança de suas saúdes, profissões ou empregos estáveis, talvez um marido provedor, enfim é como se os elogios fossem desculpas inconscientes pra poderem me dar as costas e dormirem em paz ou uma explicação pra eu me conformar com o fardo.
Não que as pessoas precisem se desculpar por eu ter ficado doente, perdido meu casamento, não poder ter filhos, não conseguir confiar mais nos homens, etc etc..
Mas depois de um tempo você começa a entender que já não sabe amar, se protege afastando quem se aproxima pra não correr riscos e percebe que sozinha até mesmo quem jamais imaginaria é capaz de querer tirar proveito.
Pois é; você corta as asas de um pássaro durante anos e no dia que esquece de cortá-las ele voa direto pra boca de um gato.
De repente me sinto assim, voando e me debatendo pra não ser pega por nenhum felino mal intencionado.
E aprendi que não existe primo, tio ou amigo que não seja tão capaz de tirar proveito de uma mulher só tanto quanto um e talvez até mais que um desconhecido.
Eu vivi anos dependendo dos meus pais, saí de casa pra depender de um marido e tive que aprender a me cuidar sozinha.
Coloquei muita gente pra correr da minha vida, algumas só dei as costas sem nem dizer nada (nem valia uma palavra), outras eu guardei na caixinha da saudade e apesar de não ter contato não deixei de amar.
Mas ainda não entendi nada.
Pois continuo me sentindo desamparada e não importa quantas pessoas ainda convivam comigo, ainda me sinto incompleta.
Muitos equívocos, vivi me enganando durante anos com uma vida de faz de conta e quando enfim a estória terminou me vi assim.
São os atalhos?
Cuidado com os atalhos, cuidado com as caronas.

Dag Veloso



sábado, 9 de abril de 2016

Sou crente e daí?

Ser crente não me beneficia diante dos homens, aliás cansa ouvir e ler coisas a respeito de crentes como se fôssemos todos iguais aos que não agem corretamente.
Sou crente, protestante ou evangélica, como quiserem me intitular mas amo minha opção religiosa se assim querem chamar.
O que importa é que creio na Palavra de Deus, crendo ser ela a própria Bíblia Sagrada; creio na Trindade, Deus Pai, Deus Espírito e Deus Filho.
Não concordo com líderes desonestos mas MINHA CONSCIÊNCIA ESTÁ LIMPA, pois não tiro nada de ninguém, aliás já me tiraram muito e nem sempre foram evangélicos que o fizeram.
Vivemos num mundo idiotizado, pensam como a maioria, não há mais individualidade nem mesmo de pensamentos.
Só por Deus mesmo!

Dag Veloso

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Deus é bom

Existem passagens bíblicas que Deus se apresenta como Eu sou.
Estava pensando nisso agora, na dimensão de significados pra esse nome ou título.
Independente do que somos, fazemos ou cremos Deus É ...
Ele é soberano de tal forma que não precisa de nada e ninguém porém também nos ama de tal forma que entregou Seu único Filho, parte dEle mesmo, por nós.
Desde novembro tenho enfrentado diversos problemas, familiares, saúde, enfim pra não me expor mais do que sempre fiz, enfrento problemas como todos os seres humanos e percebo em mim uma instabilidade espiritual muito contrastante.
Contudo, Deus é bom, Deus é maravilhoso, Ele simplesmente É e isso independe do que eu sinta ou lamente e isso é incrível pois demonstra o quanto é inabalável e em quem preciso confiar sem titubear.
Nada se conquista sem luta.
No final do ano eu declarei que 2016 era meu ano de vitória e a luta está grande pois a vitória será imensa.
Nada de desânimo, somos fracos sim mas Deus é nossa força.
Bom dia!

Dag Veloso

Letras

Aconteceu o inesperado.
Por anos me abri, falei o que sentia sem qualquer pudor, me expus, pedi socorro, chorei, também ri e ouvi críticas (isoladas) de que não deveria confiar tanto.
Eu sempre fui sincera, paguei o preço de declarar minhas verdades, embora ciente de que somos falhos e nossas verdades nem sempre as são para os outros e vice-versa.
Porém nas últimas semanas me percebo sem vontade, sem coragem, sem confiança.
Perdi a confiança de escrever, não quero mais pagar preço algum, simplesmente cansei.
Eu tenho tanto a dizer mas pra quem direi?
E por que diria?
Minha vida é um amontoado de letras e elas só fazem sentido pra mim.

Dag Veloso

quinta-feira, 7 de abril de 2016

Zuando com o doutor

Essa semana recebi um telefonema do hospital onde me tratei inicialmente...
Já saí de lá há quatro anos e costumam me ligar pra saber como anda meu tratamento no atual hospital...
Uma parente minha que trabalha lá me disse que não é protocolo do hospital fazer isso, eles só fazem comigo mesmo.
Bem, eu saí de lá brigada com meu médico, sei que não é por amor que ele quer saber de mim, ops, ou talvez seja... Ui! kkkkkkkkkk
Porém no meu prontuário desse hospital em questão não consta o meu telefone fixo pois o número é novo, além do mais que diferença faz pra eles se vivo ou não?
Pois é; quando recebi a ligação eu perguntei quem era e uma moça educada se apresentou e disse que queria falar com a Dagmar. 
Perguntei o assunto e ela me disse que queria saber como a paciente se encontrava, sem exitar eu disse que a Dagmar havia morrido... kkkkkkkkkkkk
A moça perguntou o que eu era de Dagmar e eu disse ser uma prima, então me pediu a data pra que colocassem no prontuário e num momento de silêncio escolhi: 12 de março de 2016.
Fiquei imaginando a cara do doutor M., queria muito ter visto. 
Em se tratar de tanto interesse ele deve ter por mim um apreço diferenciado, bastante suspeito até. 
Mas é que sou assim, muito inesquecível... hahahahaha
Aquariana é isso, onde passa deixa um rastro de amor ou ódio... kkkkkkkkk

Dag Veloso

domingo, 20 de março de 2016

É domingo

É domingo.
O que tem?
Tem família reunida,
brigando ou sorrindo,
família grande e família de dois
aos outros se unindo.
Tem comida cheirosa,
mesa cercada de crianças, sobremesa gelada
ou tantas lembranças.
Domingo; dia de casa de vó ou não.
Gente comendo em pé, criança ao chão
ou no sofá assistindo televisão.
Domingo foi-se indo
e meu coração partindo.

Meu domingo há muito se acabou...

Dag Veloso


sábado, 19 de março de 2016

Maturidade

Somente a maturidade nos informa quem realmente nos faz bem.
Fazer bem imputa repreensão também, pois a quem amamos queremos um futuro de boa colheita.
Aqueles que, aparentemente, estão sempre te aplaudindo e incentivando provavelmente estão esperando que colha as piores consequências.
Mas apenas os sábios encontram num conselho um gesto de amor, aos tolos restam as quedas.

Dag Veloso

terça-feira, 15 de março de 2016

Deu saudade de novo

Eu sinto saudade das conversas, risadas, seu companheirismo de amigo-irmão...
Sei que te deixei no pior momento de sua vida mas foi um mal necessário.
Viver a vida de acordo com a santidade de Deus é negar a si mesmo nos mínimos detalhes e se algo nos põe à prova devemos nos afastar.
Sinto saudades do seu rosto de criança pidona, sorriso maroto, menino em corpo de homem.
Embora o coração fique pequenino sei que fiz o que era certo.
Agora me resta interceder por você pra que permaneça fiel até o fim.
Nos encontramos na glória?
Combinado?
Não desista de sua fé, Deus é maravilhoso e só conseguimos agradá-Lo permanecendo na fé.
Amo você..

Dag Veloso

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Jardim da vida

Quando eu era criança nossas deficiências eram resolvidas quando saíamos pra brincar com os amiguinhos na rua ou no pátio do prédio que morava.
Sofriamos bullying mas não era caso de depressão ou de polícia.
Lógico que lembranças ficam e algumas não tão boas, a carência de família permanece mas viver é isso, um caminhar num jardim com flores e espinhos, alguns passam mais por flores que outros mas todos saem dele com alguns arranhões.
Hoje em dia parece que a vida virou um jardim mais de espinheiro do que flor para as crianças, onde elas sofrem e são medicadas pra viverem anestesiadas e longe da realidade.
Será que o peso realmente é maior e os espinhos predominam ou será que estamos querendo facilitar nosso "trabalho".
Coitadinhas de nossas crianças!
São mais vítimas do nosso comodismo do que dos tais espinhos.

Dag Veloso

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Palavras

Palavras fazem parte de mim, sou expressiva até no olhar porém é difícil me calar.
Ah! Vontade louca de me declarar sem medir as consequências, sem olhar pro lado, correr ao teu encontro e esquecer todo resto.
O coração e a razão brigam entre si e em acordo algum querem chegar.
Sou mais razão e você todo coração.
Não tem rima e o verso ficou perdido assim como meu amor por você.

Dag Veloso

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

"Pela tampa"

Cheguei a pensar que meus recados seriam levados à sério.
Eu cri que conseguiria mudar opiniões com meu testemunho, tentando andar corretamente.
Aí me percebo solitária, como quem fala sozinha, ou quem escreve num papel de pão pra depois jogar fora. E pior, solitária no meio de pessoas. Certamente é a pior das solidões.
Acontece que as pessoas até te aceitam como é mas pra poder te obrigar a engolir seus problemas, suas desonestidades, seus erros.. 
Enfim, tô cansada demais de ver tanta gente escondendo erro e tentando me vender seus contos de fadas.
Tô cansada de ser conivente com sem vergonhas, porque fico esperando que eu possa ajudá-los com conselhos ou mesmo com minhas atitudes que eu cri falarem mais que minhas palavras.
Tô cansada de surpresas.
Quanto mais vivo mais amo viver sozinha, mais adoro minha solidão, ela é perfeita, pois sei exatamente o que posso esperar dela.


Dag Veloso




Olhares perdidos

Meu olhar cruzou com o olhar de uma senhora que dirigia e pensei com quantos conflitos aquela vida se depara. Apesar da beleza e aparência deve ter tanto alegrias quanto tristezas e provavelmente não iremos saber uma da outra. Nos olhamos e não temos a menor noção do quanto especiais ou insignificantes somos no mundo. Eu sempre penso na enorme distância que existe entre os seres humanos e em como vemos como seres humanos somente quem conhecemos, o resto se torna sem importância.
Facilmente conseguimos perder a paciência no trânsito, por exemplo, porque se torna indiferente a existência de um ser humano cheio de conflitos, que talvez tenha acabado de tirar carta ou esteja correndo porque há alguém doente no banco de trás ou de vagar porque tenha um paciente de mieloma com muita dor (aconteceu comigo) etc, etc...
Se houvesse uma consciência clara da fragilidade tanto emocional quanto física de cada pessoa que nos passa despercebido o mundo seria menos humano e mais espiritual, certamente seria melhor.

Dag Veloso

Elevado Costa e Silva, Santa Cecília/SP

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

4.0

40 anos.
Pois é; eu cheguei.
Hoje completo 40 anos.
É um misto de sentimentos onde prevalece a surpresa.
Penso com certa dor em coisas que não fiz as quais fariam orgulhar-me de mim, penso nas coisas que pretendo realizar, penso nesses onze anos de luta contra o mieloma e parece que vivi tanto.
É assustador, é surpreendente e é notável eu ainda estar aqui.
Minha vida é marcada pela sobrevivência e não sei até que ponto isso é bom ou mesmo ruim.
Às vezes me sinto destemida e outras vezes tenho tanto medo.
Hoje não sinto o gosto dos 40, aliás nem lembro de ter sentido dos 30 e talvez eu passe toda minha vida contando os dias como se fossem o primeiro e o último.
O sentido de tudo isso eu desconheço.
O sorriso mascara minha dor como maquiagem a esconder imperfeições.
Soprarei as velas e nelas a menina de 8 anos ainda estará a pedir pela própria família, exatamente como há 32 anos.
Sou a mesma menina, porém presa em corpo surrado, pequena em corpo crescido, tentando sobreviver em meio a imensa insatisfação de conhecer a realidade humana.
E é tudo fascinante mesmo sendo horripilante.
Continuarei minha contagem... 41, 42, 43 e... será?
Te conto quando chegar lá.

Dag Veloso

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Já fui bela e também feia, cabeluda e também careca, magra e gorda, fui dependente e independente, já tive momentos de cárcere e depois de libertação. Também já estive desesperada e depois senti esperança. Senti dores rindo e já chorei sem elas.
Já fui romântica pra agora ser prática, tive a fase do salto alto e também da rasteirinha.
Já usei roupa social mas também o jeans rasgado, tive a época do batom vermelho, hoje prefiro sombra e rimel com batom cor de boca.
Já ri alto e gostoso, também baixinho com meus pensamentos.
Fui péssima aluna mas tive minha época nerdi.
Já fui atrevida e também recatada.
Sonhei com cortinas de renda branca e depois as persianas mas hoje prefiro janelas livres.
Brinquei de casinha e me vi numa cruel realidade.
Eu sonhei e acordei tantas vezes, me decepcionei, me surpreendi porem também me emocionei com verdadeiros amigos.
Já me apaixonei, amei, depois odiei e hoje é indiferente.
Já, já... Já...
Contando tudo que já vivi mesmo assim ainda ouso insistir e provar novas experiências.
Outros "jás" virão.

Dag Veloso