sábado, 4 de junho de 2011

"Terra que mana leite e mel"

Recebi um email ontem falando sobre o leite e seus malefícios na saúde feminina, achei estranho porque eu, como portadora de mieloma multiplo (câncer) sou aconselhada a tomar leite e derivados pra compensar a descalcificação dos meus ossos, é para eu abusar dos alimentos lácteos e não evitá-los. 
Nesse email que recebi, a informação foi de que o leite seria o causador de alguns tipos de cânceres. Antes de encaminhá-lo fiz o que um querido tio me aconselhou, não encaminhar nada sem antes averiguar a veracidade do mesmo e como esse mesmo tio é médico, encaminhei à ele perguntando o que poderia me dizer sobre aquilo. 
Em resposta, obtive acréscimo de sabedoria, tanto alimentar quanto espiritual. 
Vou partilhar com vocês o email que ele me mandou:

Oi minha filha,

Sei pouco sobre o assunto para responder com autoridade, porém aproveitaria para comentar alguma coisa e depois, se descobrir alguma informação adicional eu passaria para você.

1. Gostei de ver a sua atitude de prudência, procurando ter mais dados antes de simplesmente repassar uma mensagem, que em princípio pode ou não ter fundamento. A carta de Tiago nos diz que todo varão seja pronto para ouvir e tardio para falar e para se irar. Isso deve valer para a internet. Não havendo convicção realmente é melhor não passar pra frente. Eventualmente alguém que precise do leite, se atemorizado por notícias como esta, pode deixar de usa-lo como alimento e vir a se prejudicar nutricionalmente. Por outro lado, tudo que falamos aos quatro ventos, pode ter algum efeito do qual venhamos a nos arrepender. Notícias assim como remédios podem ter efeitos colaterais e devem ser ministradas com conhecimento de causa. Vale lembrar o prejuízo que estão tendo os agricultores espanhois pelo fato da imprensa alemã ter lançado a suspeita das mortes que estão tendo, nos pepinos vindos da Espanha. No momento atual, já foi descartada essa origem das infecções, mas o mal já foi feito. Ninguém quer arriscar mais comer pepinos espanhois. Quanto tempo vai durar essa neura? Qual será o prejuízo dos agricultores? Quantas pessoas deixarão de se alimentar com o fruto do precioso trabalho daqueles trabalhadores?

2. Se você olhar na internet vai perceber que o leite é tido como algo bom e como algo ruim. Logo adiante você pode ler um pequeno artigo que reflete o resultado de uma pesquisa falando exatamente o contrário do que diz esta mensagem.

3. Infelizmente muitos interesses comerciais e religiosos podem estar por trás de afirmações que difamem este ou aquele produto. Digo religiosos, porque a bíblia fala também naqueles que proíbem certos alimentos. Há vários anos tenho notado uma conotação religiosa na questão do leite, mesmo entre "crentes", e isso me preocupa.

4. É interessante a afirmação de que o leite deveria ser apenas para os bezerros. Se você der uma pesquisada na bíblia vai observar que a Terra Prometida é referida como uma terra que mana leite e mel, e é chamada assim cerca de vinte vezes pelo próprio Senhor, indicando que haveria abundância de leite. Se o leite fosse ruim o Senhor não o teria indicado como uma evidência da benção da terra. O mel ali também é abundante, não apenas por aquele produzido pelas abelhas, como aquele produzido pelas tamareiras abundantes naquela terra, visto que o mel das tamareiras é tido como uma iguaria. Além dos textos que falam que eles receberiam uma terra que mana leite e mel, se você puder leia umas outras referências sobre o leite ou queijo (derivados) na bíblia: I Samuel 17:18  /  Provérbios 27:27  / Isaías 55:1  /  I Coríntios 9:7 

5. Vamos supor que o leite pudesse ter sido fator com responsabilidade no tumor dessa senhora. Se este tumor estava avançado como ela diz, ele já teria uma dinâmica de reprodução, e é óbvio que não seria o simples fato de tirar o leite que faria com que ele regredisse. É como empurrar um carrinho na descida de uma ribanceira. Quando ele já está com velocidade, o fato de se deixar de empurrar não vai parar a sua descida. Caso essa história seja verdadeira, seria mais fácil acreditar que alguma mudança no esquema das medicações teria sido o responsável pela boa evolução, ou alguma intervenção divina.

6. As causas de muitas doenças e tumores de mama, assim como diversos outros tumores, tem muito a ver com tendências genéticas e hábitos de vida. No caso da mama, maus hábitos de vida, especialmente os alimentares e a conseqüente obesidade podem ter um papel importante. Alguns tumores são mais comuns em determinados locais do planeta e mais raros em outros, por força dessa interação entre tendências genéticas e hábitos de vida. No caso das chinesas, elas parecem ter mamas menores do que aquelas das mulheres ocidentais e além disso, elas estão longe de serem sedentárias como muitas das ocidentais.  


Anexo abaixo uma mensagem que traduz uma visão contrária. O Deus que faz por nós infinitamente mais do que pedimos a abençoe sempre com seu amor fiel.


Câncer de mama: frutas, feijão e leite ajudam na prevenção
Consumir frutas, sucos, feijão, leite e derivados pode reduzir o risco de desenvolver câncer de mama.

Consumir frutas, sucos, feijão, leite e derivados pode reduzir o risco de desenvolver câncer de mama, segundo pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), do Centro de Ciências da Saúde (CCS), em João Pessoa, e da Faculdade Evangélica do Paraná (Fepar), em Curitiba.

A pesquisa avaliou a dieta de 183 mulheres no Nordeste do Brasil para verificar a relação entre alimentação e o câncer de mama, segunda maior causa de mortalidade entre as mulheres no país desde a década de 1980.

Fatores genéticos podem contribuir para o desenvolvimento de câncer de mama em mais de 30% dos casos, mas um estilo de vida sedentário associado à obesidade e a hábitos de alimentação inadequados também podem aumentar o risco em cerca de 40%.

"O consumo de frutas, sucos, feijão, leite e derivados apresentou uma forte associação com a redução no risco", afirmam os pesquisadores em artigo publicado na edição de abril da revista Cadernos de Saúde Pública da Fiocruz. Enquanto esses alimentos podem atuar como uma proteção, o consumo de carnes vermelhas e de carnes fritas esteve positivamente relacionado ao desenvolvimento do câncer de mama. Nenhuma associação foi observada entre vegetais, salsichas e a enfermidade.

Todas as participantes do estudo tinham entre 30 e 80 anos. Elas responderam a um questionário com informações sobre a freqüência de consumo de 68 itens ingeridos durante o ano precedente à confirmação da doença.

Fonte:  Gazeta Mercantil
Email enviado por Romeu Maffei  (tio e doutor...rs). 

Um comentário:

  1. Muito interessante o ponto de vista e a informação como um todo

    ResponderExcluir